Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

Contraf-CUT convoca mobilização contra terceirização. Câmara pode voltar PL nesta terça (21)

Publicado em
Contraf-CUT convoca mobilização contra terceirização. Câmara pode voltar PL nesta terça (21)

Trabalhadores preparam manifestações nos aeroportos para pressionar deputados a votarem contra o PL que destrói a CLT

A Contraf-CUT, juntamente com a Central Única dos Trabalhadores – CUT e as Centrais Sindicais, as Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo organizam mais uma mobilização no enfrentamento à tramitação do PL 4302/98 que libera totalmente a terceirização nas relações de trabalho, a retirada de direitos, a fragilização dos acordos coletivos e das representações dos trabalhadores.

Nesta terça-feira (21), há a possibilidade de o PL 4302/98 entrar na pauta de votação da Câmara, e serão realizados atos nos principais aeroportos do país, de abordagem aos parlamentares que estarão seguindo para Brasília, para pressioná-los a votar contra o projeto de lei que destrói a CLT. 

“Convocamos os bancários e bancários, nossas federações e sindicatos para mais esta luta. O governo golpista avança sobre os direitos dos trabalhadores. Os bancários seguirão firmes na defesa dos direitos da categoria e de toda a classe trabalhadora. Todos e todas aos aeroportos de suas cidades para denunciar os parlamentares e dizer: Nenhum direito a menos! Não à retirada de direitos! Não à Reforma da Previdência Social!”, conclama o presidente da Contraf-CUT, Roberto von der Osten. 

O presidente da Confederação explica ainda que O PL 4302/98 significa o fim dos acordos coletivos na forma que conhecemos, a precarização das mesas de negociações e efetiva retirada de direitos dos bancários, conquistados ao longo dos anos.  

“Além da pressão nos aeroportos, outra orientação é enviar mensagens aos deputados. Encaminhamos aos sindicatos e federações a relação dos parlamentares com nome, partido, telefone e e-mail. Usaremos também as redes sociais e todas as formas de denúncia pública a partir de nossas entidades sindicais”, ressalta Roberto von der Osten.

Fonte: Contraf-CUT

ASSINE NOSSA NEWSLETTER