Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

Ações sindicais no Bradesco denunciam demissões e más condições de trabalho

Publicado em Bradesco
Ações sindicais no Bradesco denunciam demissões e más condições de trabalho

Nesta terça-feira, 23, bancárias e bancários do Bradesco lutaram em todo país contra as demissões, o fechamento de agências e a cobrança excessiva de metas. O Sindicado dos Bancários de Macaé e Região, promoveu uma ação na agência do Calçadão, principal ponto de atendimento em Macaé, além de panfletagens nas outras agências da cidade.

De janeiro a setembro de 2021, o Bradesco obteve R$ 19,6 bilhões de lucro líquido recorrente. O resultado representa alta de 54,9% em relação ao mesmo período de 2020. No terceiro trimestre, o lucro foi de R$ 6,767 bilhões, aumento de 7,1% em relação ao segundo trimestre do ano. Apesar do balanço positivo, conquistado a partir do trabalho dos bancários, o banco segue demitindo. Entre o primeiro semestre de 2020 e o de 2021, o número de funcionários do Bradesco passou de 96.787 para 87.362, um saldo de 9.425 demissões.

Ao mesmo tempo que demite, o banco amplia seu projeto de digitalização e fecha agências, prejudicando o atendimento ao cliente. Para piorar, o Bradesco ainda mantém uma política de metas que sobrecarrega e adoece os funcionários.

Campanha

Durante a ação sindical o Sindicato também participou da camanha “#QuevergonhaBradesco”, que movimentou as redes sociais.

O tuitaço, é uma forma de cobrar publicamente o banco e de valorizar o trabalho dos empregados, que se dedicam diariamente à instituição financeira, mas mesmo assim não são reconhecidos. A resposta do banco, ao contrário, é a demissão, a cobrança de metas e o desrespeito.

AÇÕES SINDICAIS NO BRADESCO DENUNCIAM DEMISSÕES E MÁS CONDIÇÕES DE TRABALHO

AÇÕES SINDICAIS NO BRADESCO DENUNCIAM DEMISSÕES E MÁS CONDIÇÕES DE TRABALHO

ASSINE NOSSA NEWSLETTER