Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

Assembléia para avaliação da proposta apresentada pela Fenaban

Publicado em
Assembléia para avaliação da proposta apresentada pela Fenaban

Num cenário de retirada de direitos, com a reforma trabalhista que precariza empregos e ataca a organização dos trabalhadores, os bancários mostraram mais uma vez sua força, garantindo uma proposta que mantém todas as conquistas históricas da categoria e ainda um reajuste de 5%, com aumento real de 1,18%, maior do que média dos acordos coletivos fechados no primeiro semestre. Prevê, também, acordo com validade de dois anos, já garantida para 2019 a manutenção de todos os direitos, além da reposição total da inflação (INPC) mais 1% de aumento real para salários e demais verbas. Se aprovada a proposta, a primeira parcela da PLR será paga em 20 de setembro.“Foram dez rodadas de negociação em que a Fenaban ou não apresentava nada ou apresentou propostas inaceitáveis, com alteração ou exclusão de cláusulas da CCT. Mas a categoria bancária mais uma vez mostrou sua força, tanto na mesa com os bancos quanto nas mobilizações que promovemos, com paralisações de agências e centros administrativos em todo o país. E conseguimos arrancar uma proposta que, além de manter nossas conquistas históricas, avança com novas, e prevê aumento real maior do que o de 0,5% proposto por eles anteriormente”, avalia a presidenta do Sindicato e uma das coordenadoras do Comando Nacional dos Bancários, Ivone Silva.
Os bancários de todo o país avaliarão a proposta em assembleias na quarta-feira 29. 
O Comando orienta pela aprovação da proposta Fenaban, assim como pela aprovação das específicas do Banco do Brasil e da Caixa.
“Diante do golpe que tem promovido enormes retrocessos no país, com aumento do desemprego, aprofundamento da crise e perda do poder de compra da população e com medidas como a reforma trabalhista, elaborada para retirar direitos e enfraquecer o poder de organização da classe trabalhadora. E diante de um cenário eleitoral de incertezas. Ter uma proposta que resguarda nossos direitos, que manteve a mesa única de negociação (com bancos privados e públicos) e os acordos por bancos e que garante aumento real, é uma vitória contra esses ataques todos que estamos sofrendo", reforça Ivone. "Mais uma vez a luta da categoria bancária vai servir de modelo para as demais categoria que forem negociar daqui para a frente, fortalecendo toda a classe trabalhadora”, acrescenta. A proposta prevê ainda taxa negocial de 1,5%.

A dirigente lembra ainda que a reforma trabalhista acabou com a ultratividade, princípio que previa a validade de um acordo até a assinatura de um novo. “Com o fim da ultratividade, nossa CCT perde a validade em 31 de agosto. Por isso antecipamos nossa campanha este ano e é fundamental fechar um acordo no tempo hábil, antes da data base da categoria (1º de setembro).”

Ela destaca que a Campanha dos Bancários 2018 também garantiu os direitos dos trabalhadores dos bancos públicos, que estão sendo desmontados pelo governo Temer. “Nossa luta também foi vitoriosa porque manteve os direitos especificos previstos nos acordos do Banco do Brasil e da Caixa.”

A proposta garante ainda todos os direitos para os empregados hipersuficiente (bancários com salários a partir de R$ 11.291,60). O empregado hipersuficiente foi criado pela nova lei trabalhista: eles poderiam estabelecer suas condições de trabalho diretamente com o empregador, e não estariam resguardados pelo acordo coletivo da categoria. “Conseguimos manter a validade da CCT para esses bancários”, reforça Ivone.

 

Confira a regra da PLR
PLR Total: Regra Básica + Parcela Adicional

•  Regra Básica: 90% do salário + valor fixo de R$ 2.355,76. Caso o montante não atinja 5% do lucro líquido dos bancos o valor será elevado até o limite individual de 2,2 salários.
•  Parcela Adicional: Distribuição linear de 2,2% do lucro líquido anual dos bancos, com teto de R$ 4.711,52

Antecipação da PLR

•  60% da regra básica, ou seja, 54% do salário + R$ 1.413,46
• Parcela adicional: Distribuição linear de 2,2% do lucro líquido semestral dos bancos, com teto de R$ 2.355,76

Veja quanto receberá de acordo com o salário:

Assembléia para avaliação da proposta apresentada pela Fenaban

A assembléia dos bancários (as) de Macaé, Conceição de Macabú, Quissamã, Carapebus e Córrego D'Ouro, será na sede do Sindicato dos Bancários de Macaé e Região, situado na Rua de Santana, 178 - Centro - Macaé-RJ, nesta quarta-feira (29/08) ás 18:30h

ASSINE NOSSA NEWSLETTER