Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

Caixa não mexa nos meus direitos

Publicado em
Caixa não mexa nos meus direitos

Nas unidades Brasil afora, o clima é de apreensão devido a mudanças, principalmente em relação às funções de caixa, tesoureiro e avaliador de penhor. A decisão de não nomear novos caixa, mesmo em casos de vacância por aposentadoria ou promoção, foi anunciada pela empresa na negociação permanente de 2 de junho. Foi criada a figura do caixa minuto, ou seja, outro empregado é deslocado para a atividade. “As alterações constam justamente no RH 184. A incorporação acabou no governo FHC e foi reconquistada em 2006. Querem retirar novamente”, afirma o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira.No caso dos tesoureiros, a transferência das Rerets para a hierarquia das unidades, ocorrida na primeira onda da reestruturação, tem gerado sérios transtornos. “Sabemos que há gestores aproveitando-se para deslocar esse trabalhador para diversas outras tarefas. Entre outros problemas, isso gera sobrecarga. Já os técnicos bancários estão sendo transferidos para centros de documentação, fazendo vezes de tesoureiro”, relata Dionísio Reis, diretor do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região e membro da CEE/Caixa. No dia 5 de julho, a Caixa informou, em comunicado enviado à toda a rede, que deixaria de pagar o adicional de insalubridade dos avaliadores de penhor. Após a pressão da Comissão Executiva dos Empregados, o banco recuou e manteve o pagamento do valor por 90 dias, a partir de 12 de julho, e deu prazo para que as entidades representativas apresentem argumentos e laudos técnicos pela manutenção do adicional.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER