Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

"Nenhum Direito a Menos" esse foi o motivo da grande mobilização dos trabalhadores no Brasil neste 15 de março

Publicado em
"Nenhum Direito a Menos" esse foi o motivo da grande mobilização dos trabalhadores no Brasil neste 15 de março

Bancários de todo Estados do Rio se uniram com diversas categorias da classe trabalhadora nesta quarta-feira (15), no Dia Nacional de Paralisação contra as Reformas da Previdência, Trabalhista, e a retirada de direitos dos trabalhadores. O Sindicato dos Bancários de Macaé também esteve presente nessa luta desenvolvendo atividades, no Rio de Janeiro, segundo maior centro financeiro do país.

O dia começou com manifestações nas principais vias do país, paralisações dos transportes públicos, fechamento de agências bancárias e greves de diversas categorias em várias cidades brasileiras. À tarde, grandes atos públicos foram realizados nas principais avenidas. As mobilizações foram organizadas pelas centrais sindicais, movimentos sociais e integrantes das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo para pressionar o governo e o Congresso Nacional a suspenderem a tramitação das reformas que trarão prejuízos à classe trabalhadora.

Entre os principais pontos contestados pelos manifestantes estão o estabelecimento de idade mínima de 65 anos para requerer aposentadoria, igual para homens e mulheres, e os  49 anos de contribuição exigidos para acessar a aposentadoria integral, além de impactos negativos que a reforma proposta por Temer causará entre trabalhadores e trabalhadoras rurais. Movimentos sociais e centrais sindicais consideram que a reforma acaba com a possibilidade da maior parte da população conseguir se aposentar, abrindo espaço para os bancos oferecerem planos de previdência privada.

Os trabalhadores também ressaltaram que o argumento do governo sobre o déficit na Previdência é falacioso, já que desconsidera que o orçamento da Seguridade Social contempla previdência, assistência social e saúde, e não apenas o pagamento dos benefícios previdenciários. Outro ponto destacado pelos opositores da reforma é que há muitas desonerações aplicadas pelo governo federal que reduzem o montante arrecadado pela Previdência, além de dívidas da ordem de R$ 487 bilhões.

Durante a semana o Sindicato continuará desenvolvendo atividades em sua base territorial com a distribuição de material informativo a população e aos bancários.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER