Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

Para além do coronavírus: quais sintomas pedem uma ida ao hospital

Publicado em Coronavirus
Para além do coronavírus: quais sintomas pedem uma ida ao hospital

Profissionais de saúde estão preocupados que o medo do coronavírus (Sars-CoV-2) acabe fazendo certas pessoas ficarem em casa mesmo se apresentarem sintomas sérios e sugestivos de doenças que exigem tratamento rápido, como infarto, AVC, reações alérgicas severas… De fato, uma visita desnecessária ao pronto-socorro aumenta o risco de sofrer com a Covid-19. Mas, em face de uma urgência, ficar em casa não é uma boa.

O que chamou a atenção para esse cenário


Dados intrigantes vieram dos Estados Unidos: enquanto cardiologistas intervencionistas relataram uma queda de 50% ou mais no número de pacientes recebendo tratamento emergencial contra o infarto em hospitais, a cidade de Nova York— uma das mais atingidas pelo Sars-CoV-2 — reportou um aumento de oito vezes nas mortes em casa por parada cardíaca, em comparação com o mesmo período de 2019.

“Isso pode ser reflexo de uma sobrecarga no serviço das ambulâncias por causa do coronavírus, o que deixaria outras emergências desassistidas”, reflete o cardiologista Bruno Bandeira, diretor de comunicação da Sociedade Brasileira de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj). “Mas esse fato também seria resultado do medo de o paciente procurar um hospital”, completa.

A Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista apontou uma diminuição de 70% no número de procedimentos voltados para controlar um infarto em abril de 2020, quando comparado ao mesmo período do ano passado. As hipóteses para esse fenômeno são as mesmas do contexto americano.

 

Revista saúde

ASSINE NOSSA NEWSLETTER