Logotipo SEEB/MR
Logotipo SEEB/MR

Para além do coronavírus: quais sintomas pedem uma ida ao hospital

Publicado em Coronavirus
Para além do coronavírus: quais sintomas pedem uma ida ao hospital

Então, quais os principais sintomas que demandam uma ida ao pronto-socorro?


É impossível citar todas as enfermidades. Mas Bruno Bandeira dá uma dica generalizada: “Se algum incômodo intenso surge repentinamente e piora com o tempo, o mínimo que se deve fazer é conversar com um médico sem demora por telefone ou videochamada”, alerta.

E no que devemos ficar de olho para detectar o princípio de infarto e outras emergências cardíacas? “A dor no peito é um sintoma de alerta, principalmente se durar mais de cinco a dez minutos, aumentar de intensidade, piorar com o esforço físico e não tiver relação com a apalpação do local”, descreve o médico.

Se manifestar esses sinais, não hesite em ir para o pronto-socorro — até porque esses locais estão se estruturando para separar pessoas com suspeita do coronavírus dos outros pacientes. Bandeira ressalta também que dores do umbigo até a mandíbula eventualmente apontam um princípio de ataque cardíaco. Caso exiba esses desconfortos, converse com um profissional.

Alterações dos batimentos cardíacos, inchaço e falta de ar também preocupam, porque podem ser consequência de arritmias ou insuficiência cardíaca. Pessoas já diagnosticadas com essas enfermidades devem ter atenção redobrada.

A falta de ar sem motivo aparente, aliás, também pode acusar a agravamento de uma doença respiratória, como o próprio coronavírus. Daí porque os médicos recomendam, nesse contexto, ir para o hospital.

O AVC, por sua vez, é marcado por fraqueza de um lado do corpo, assimetria da face, tontura, confusão mental, alteração da fala e da visão e perda de consciência. Sentiu alguma dessas coisas? Vá para o hospital.

No mais, acidentes domésticos mais sérios, intoxicações e reações alérgicas cobram uma avaliação presencial do médico.

Um médico e um pronto-socorro para chamar de seu
Se estiver na dúvida sobre algum sintoma, é importante ter o contato de um doutor. Ele pode inclusive fazer uma triagem básica a partir de certas informações disponíveis pela telemedicina.

Além disso, é bom saber para qual hospital correr em caso de uma emergência. Não deixe para fazer essa pesquisa quando estivar diante de um problema sério.

REVISTA SAÚDE

ASSINE NOSSA NEWSLETTER